Porque era marítimo.

Atravessei o dia
com uma tristeza azul
pendurada no peito.
Quis dar a ela o teu nome,
mas desisti…

Depois de perfurar
as órbitas dos olhos,
derramei um mar
e me deixei afogar
no profundo
dos pensamentos…

(De lá te escrevo.
Ainda te amo…
Mas tudo isso é inútil,
eu sei.).

Convoquei a lua
e teci promessas
ao som
de sua pálida luz.

Ninguém quer saber
dos abismos
que carrego na pele,
nem do fantasma
da tua ausência
atormentando meus sonhos.

Tríccia Araújo

Um comentário em “Porque era marítimo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.